Danielle Dahoui-Oficial.jpg

Danielle Dahoui
Bistrôs Ruella e Hell's Kitchen (SBT)

Apresentadora do programa Hell’s Kitchen diz que sua gestão nos bistrôs Ruella é marcada pelo companheirismo com os funcionários e que procura fugir do estereótipo da chef de cozinha que grita com todo mundo

Há 28 anos no mercado de alimentação fora do lar, Danielle Dahoui está hoje em uma posição privilegiada. Com o tempo dividido entre as três unidades do empreendimento que comanda, o bistrô Ruella, e a apresentação do programa Hell‘s Kitchen, do SBT, ela navega entre o sucesso do público e a admiração da crítica. Mas a sua trajetória não foi nada fácil. Sem uma educação gastronômica formal, tudo que ela sabe aprendeu passando por setores de restaurantes nos quais trabalhou no Brasil e na França: cozinha, bar e salão. No dia 16 de agosto, ela sobe ao palco do 30º Congresso Abrasel | Mesa ao Vivo Brasília para falar sobre como decidiu empreender “na cara e na coragem” e soube afirmar sua competência, inclusive em ambientes onde mulheres na chefia não eram bem vistas pelo mercado.
 

“Pela criação machista que temos no país, em todos os setores, quando uma mulher resolve ser líder precisa passar por cima de vários preconceitos. Me botavam só para lavar louça, descascar coisas, fazer sobremesas. Fui aprendendo o que queria no tempo que sobrava e precisei me impor para conquistar esse respeito. Por isso sempre defendo: lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive na cozinha”, afirma. 

Além de proprietária dos Bistrôs Ruella e apresentadora Hell's Kitchen, também é jurada do reality show do SBT, BBQ Churrasco na Brasa; e traz na bagagem a experiência de ser sócia-criadora, chef e restauratrice de sete restaurantes de sucesso entre o eixo Rio São Paulo, desde 1996.


Equipe

A força de vontade para empreender sempre foi para Danielle tão forte quanto a habilidade técnica. A ação propulsora fundamental para o sucesso, no entanto, vem de sua equipe. “Tenho o bistrô há 22 anos, e carrego alguns funcionários comigo desde então”, orgulha-se.

Como empresária, ela afirma que antes de conquistar o cliente é preciso ganhar a equipe. “Eles vêm pra mim em primeiro lugar. O cliente é o resultado do sucesso da minha equipe”. Nos Bistrôs Ruella, todos os chefs começam suas trajetórias profissionais lavando louça. A cada degrau, vêm a confiança e o reconhecimento. “Tão importante quando a comida e o lugar está o investimento no funcionário. A gente brinca que o garçom aqui é treinado para vender o que produzimos na casa. Senão vira só um anotador de pedidos. Não quero vender só refrigerante e suco de lata”, diz.

Danielle diz que procura fugir do estereótipo do chef de cozinha que grita com todo mundo para afirmar sua posição. “Meu jeito de gerir a equipe é mais no companheirismo com o funcionário. Dou a bronca quando tenho que dar, mas com cuidado pra não passar de nenhum limite. Posso falar com sinceridade que o resultado é surpreendente”.

Profissionalismo

Ela adianta que a sua palestra tem também a missão de motivar os participantes a serem melhores empresários. “Contando sobre minha trajetória, falo das minhas dificuldades com esperança de que quem está começando agora não cometa os mesmos erros. Às vezes não paramos para pensar que abrir um restaurante pode abalar nossa vida emocional e financeira. A gente precisa saber que talvez vamos ficar seis meses, um ano, sem tirar um centavo pra colocar no bolso, trabalhar de domingo a domingo, ver menos a família”, pondera.

Mudança de ares

Em 2016, a chef foi convidada pelo SBT para apresentar o programa Hell’s Kitchen, sucesso já consolidado na TV aberta sob o comando de Carlos Bertolazzi por três temporadas. “Nunca quis fazer TV e não tinha a mínima paciência. O que me convenceu foi o fato de ser a primeira mulher a apresentar o show. Com 50 anos posso dizer que estou aprendendo uma nova profissão e achando isso o máximo”. O programa é exibido em mais de 15 países, sempre com homens à frente.
A experiência, ela garante, é enriquecedora, porém, desgastante. “Não é fácil deixar 120 funcionários de lado para gravar dez, dozes horas por dia por vários meses”. Com Danielle Dahoui apresentando o Hell’s Kitchen, o programa pulou de seis para 14 pontos de audiência, com enorme aceitação do público. Para as unidades do Ruella, o resultado também foi positivo. “Mudou também os meus negócios. Todo mundo enfrentou nos últimos anos uma crise enorme e não senti essa queda, pelo contrário”. A experiência tem trazido frutos também para a vida pessoal, ela diz. “É simbólico mostrar que posso ser firme e tratar bem os candidatos. O brasileiro já é muito mal, tratado, né? Ninguém merece”, finaliza.

Para garantir seu lugar na palestra de Danielle Dahoui no Congresso Nacional Abrasel e Mesa ao Vivo Brasília, clique aqui. Os associados Abrasel têm 50% de desconto nas inscrições com o código SOUABRASEL2018. O evento acontece nos dias 15 e 16 de agosto, no Centro Universitário IESB – Asa Sul.

O 30º Congresso Nacional Abrasel e Mesa ao Vivo Brasília é uma realização da Abrasel em parceria com o Mundo Mesa|Prazeres da Mesa e o Centro Universitário IESB. Os patrocínios são da Alelo, Ambev, Cielo, Coca-Cola Brasil, Ecolab, Philip Morris Brasil, Sodexo, Souza Cruz e Ticket. Os apoiadores são Fispal Food Service, Pitú e Senac. O jornal Correio Braziliense e as revistas Prazeres da Mesa e Bares & Restaurantes são os parceiros de mídia. O evento tem ainda a parceria com a Unecs. Confira a programação completa em www.congressoabrasel.com.br

Palestra

Quando? Dia 16 de Agosto, das 16h45 às 17h45
Onde? No Grande Auditório do IESB

Serviço

Fórum 30º Congresso Nacional Abrasel
15 e 16 de agosto | IESB – Campus Edson Machado