WESSEL.jpg

O empresário István Wessel falou sobre o mercado da carne e o sucesso das hamburguerias. Foto: Danilo Viegas

Com mais de 40 anos de experiência no mercado, István Wessel se apresenta no Congresso Abrasel e se diz entusiasmado com a ascensão do mercado de hambúrguer

*Por Danilo Viegas

“Se tem alguém que conhece carne, sabe falar sobre carne e, sobretudo, sabe ganhar dinheiro com carne, esse alguém é este cara”, disse Georges Schneider, da Prazeres da Mesa, ao apresentar István Wessel como novidade na programação de palestras do Congresso Abrasel/Mesa ao Vivo Brasília.

Fã do bom hambúrguer e membro da quarta geração de uma família de açougueiros húngaros, István Wessel fez fama e se consolidou no mercado por seu jeito único de preparar carnes. Hoje ele atua também como comentarista de gastronomia na Rádio BandNews, em São Paulo. A melhor maneira de descrever sua palestra é afirmar que foi um compartilhamento de sabedoria, já que Wessel atua com maestria no mercado há mais de 40 anos numa empresa hoje sexagenária. “Ter um negócio por um longo período de tempo num país com um milhão de turbulência nos dá experiência de ter vivido bons e maus momentos, e com essa bagagem nos preparar para novos cenários. Já vimos de tudo, desde inflação de três dígitos até peixe morrer afogado”, brincou.


Hoje, porém, o que entusiasma Wessel é o mercado de hamburguerias. “Podemos dizer que 2/3 de nossa venda é voltada para o hambúrguer. Há 15 anos, era zero. Como um negócio foi do nada para praticamente 65% de nossas atenções? Porque a palavra Novo é o que o consumidor sempre quer ver em algum lugar. Ninguém quer voltar a um restaurante e se deparar com aquele mesmo velho cardápio”.

Segundo Wessel, é preciso enxergar essas mudanças e entender as novas situações. “Digo ao meu filho, a quinta geração do Wessel, que a cada cinco anos uma empresa deve manter apenas a marca e o CNPJ, o resto precisa mudar tudo. Nos anos 80, um restaurante tinha cinco páginas somente para sanduíches, hoje os cardápios estão completamente enxutos. Existem hamburguerias com meia página de cardápio que vendem apenas um produto, mas em três opções; simples, duplo e triplo”, disse, arrancando risos dos congressistas.

O termo hamburgueria, segundo ele, não tem significado real. “É uma expressão inventada em 2004 por um sócio meu quando abrimos simplesmente um casa de hambúrgueres bacanas. A palavra foi criada tal qual os Fasanos inventaram o termo forneria”, disse. No fim das contas, o termo foi bom. “Levou a carne a um patamar que nunca teve antes. Existe hoje em cada lugar no Brasil uma hamburgueria abrindo as portas neste exato momento”, finalizou.

Congresso Nacional Abrasel

O Congresso da Abrasel, o maior encontro do setor de bares e restaurante do Brasil, começou em 15 de agosto e termina na noite desta quinta (17). A edição de número 29 tem como tema Conectar Pessoas, Saberes e Iniciativas. O evento é realizado pela própria Abrasel, pelo Centro Universitário IESB e pela revista Prazeres da Mesa, com patrocínio da Ambev, Ecolab, Getnet, Philip Morris Brasil, Sodexo e Souza Cruz. Conta também com a parceria da Vinum Brasilis, parceria de mídia do Correio Brazilienze e apoio da Fispal.